Nachrichten - News - Noticias
 published: 2009-03-13

Percorrendo o Caminho dos Casais em espírito de peregrinação

Impressões de casais a respeito do Caminho de Casais em terras húngaras e suas respectivas vivências

 

Wallfahrt auf dem Weg der Ehepaare

Peregrinando por el Camino de los Matrimonios

On pilgrimage along the Stations of Marriage

Wallfahrt auf dem Weg der Ehepaare

 

Zeit zum Nachdenken

Momentos de reflexión

Moments of meditation

Zeit zum Nachdenken

 
Schweigend  

Silencio

Silent

Schweigend

 
Auf dem Weg  

Caminando

Pilgrims

Auf dem Weg

 
Danke...  

Gracias...

Thanks...

Danke...

 
Der besondere Geburtstag  

El cumpleaños especial

The special birthday

Der besondere Geburtstag

Fotos: Török © 2009

 
 

HUNGRIA, Orsi e Péter Török, Ir. Gertrud-Maria Erhard. Quarenta casais provenientes das imediações de Budapest, Hungria, partiram num grande ônibus de dois andares, bem como em algumas vans, com destino ao Caminho dos Casais, situado no Centro de Schoenstatt, de Óbudavár, Hungria. No decorrer do dia surgiu uma dinâmica própria. "Permaneçamos aqui mais um pouco!", assim pediram os próprios casais no declinar do dia, ao se aproximar a hora da partida.

"Pedimos a Deus e a Nossa Senhora que o anseio que nos irrompeu na peregrinação empreendida ao Caminho dos Casais, de Óbudavár, venha a converter-se em pequenos passos. "Agradecemos ao Pe.Kentenich pela vivência desta peregrinação e pedimos aqui a copiosa bênção de Deus para a nossa família." "O verdadeiro amor significa, por vezes, abraçar um cacto." "Persistir com valentia!"

Que nos tocou?

Tais foram os comentários escritos nas cédulas a nós entregues na viagem de regresso a Budapest, depois de havermos no ônibus pedido a todos os casais presentes um comentário, por escrito, em reposta à questão: Que mais nos tocou enquanto percorríamos o Caminho dos Casais em espírito de peregrinação? A leitura de tais testemunhos no ônibus permitiu que todos nós desfrutássemos conjuntamente tais vivências. "Temos mister de nossos mais velhos, ainda que estejam desamparados. Eles curam nossas chagas da vida hética", assim escreveu um casal, relacionando tal pensamento com a XII estação do Caminho dos Casais: " Juntamente com a nossa geração mais velha".

"Queremos convidar Nossa Senhora para vir habitar em nosso lar", fora a quinta-essência de outro casal no término deste dia.

Aquilo que no final desta peregrinação se tornou algo de bem sucedido e de fecundo, de modo algum havia iniciado com tanto otimismo.

Nosso anseio: dar continuidade à transmissão dos tesouros

Desde há doze anos – desde nosso casamento – vivemos em um pequeno lugarejo, situado nas imediações de Budapest, assim narram os iniciadores desta peregrinação. "Somos membros da União das Famílias de Schoenstatt húngaras. Desde há anos que trazemos em nós um desejo de transmitir os tesouros que recebemos no trabalho com a Família de Schoenstatt às famílias de nosso meio, e isto com mais ou menos êxito. Por fim, tivemos então a ideia de organizar esta peregrinação ao Centro de Schoenstatt, de Óbudavár, Hungria."

Aí ocorreu no ano derradeiro a cerimônia da bênção do "Caminho dos Casais", presidida pelo bispo da Família húngara, cujo percurso é de cerca de 1,5 km de cumprimento, com 15 estações; e cada uma dessas estações reflete um estado na vida matrimonial e familiar. Por iniciativa do pe. Beller, a família húngara compilou um manual do Caminho para Casais, que contém outrossim 15 cânticos populares húngaros. "Por conseguinte, elaboramos um convite para este dia de peregrinação e distribuímo-lo", assim prossegue o casal Török. "Ansiosos aguardávamos as inscrições... Infelizmente somente dois casais se inscreverem. Em face disso, dirigimo-nos ao Pe.Kentenich: Pai, conduz tu mesmo esta peregrinação ao Santuário de Nossa Senhora. Em compensação, oferecemos de bom agrado nosso trabalho e pretendemos outrossim jejuar qual contribuição para o Capital de Graças: Pai, cuida de tudo!" E de fato fê-lo. E eis o excelente final de tudo isso: partimos em um grande ônibus de dois andares e em algumas vans, no total de 81 pessoas, além de nosso pároco. Ao longo da viagem narramos, em breves palavras, algo referente à história do Movimento Apostólico de Schoenstatt em terras húngaras e fizemos uma meditação de um texto do referido manual. E assim surgiu um excelente clima entre os casais participantes."

Nossas famílias aproximam-se de Deus

Entre nós haviam peregrinos das mais variadíssimas profissões: funcionário da Casa da Ópera, mecânico de automóveis, poeta, mestre de estufa de ladrilhos, médicos, jardineiros, casais, tanto jovens quanto idosos; resumindo: um leque bem variado de pessoas. Ao chegarmos à Capela de Schoenstatt, situada em Óbudavár, uma família pertencente à União das Famílias de Schoenstatt incentivou a todos a empreenderem uma breve visita ao Santuário. Em seguida, dirigimo-nos para o Caminho dos Casais e fizemos entre nós a distribuição de cada uma das estações; um casal fazia a leitura de um texto do Manual do Caminho dos Casais referente à respectiva estação do caminho. Várias foram as vezes que nos apercebemos de que a leitura desses textos havia comovido os corações daqueles que as faziam. Sucedeu outrossim que casais, devido às lágrimas, não conseguiram dar continuidade à leitura. E entre nós surgiu uma encantadora atmosfera de oração ao longo de todo o percurso deste caminho.

Nós agradecemos

E chegando a seu término, regressamos à Capelinha onde encerramos a peregrinação dos casais, com uma oração de ação de graças. Transcorrido o almoço comunitário, os casais fizeram sua colheita pessoal em um espaço de tempo exclusivamente a eles dois consagrado. Em pequenas cédulas escreveram anonimamente o que mais lhes havia tocado no Caminho dos Casais. Muitos outrossim escreveram nas referidas cédulas suas intenções e ofertas, cédulas essas depois depositadas na talha do Santuário. E a coroação deste nosso dia de peregrinação foi a nossa Santa Missa comunitária e belamente organizada. "Juntos somos mais fortes", com este título da VIII estação do Caminho dos Casais, um casal resumiu suas impressões acerca desta vivência. "Agradecemos", o título da XV Estação do Caminho dos Casais representa-nos no término de todo o empreendimento.

Um dia de aniversário peculiar

Uma senhora narra outra vivência tida com o Caminho dos Casais Há pouco meu pai comemorou seu 78º aniversário. Quebramos a cabeça para saber o que poderíamos dar-lhe de presente de aniversário. "Já não preciso de nada", continuava ela dizendo. Um aparelho par medir a pressão arterial? Uma nova bengala? Algo assim iria talvez trazer-lhe à memória a enfermidade de que padece.

Finalmente nos ocorreu uma excelente ideia: Convidamo-lo para um passeio-surpresa.

Logo surgiram porém suas objeções: "Já não consigo locomover-me com a prótese no joelho." E de imediato o tranquilizamos: iremos de carro, e assim apenas necessitamos de dar alguns passos até o nosso destino. Por fim, aquiesceu; e pudemos partir em dois carros, no total de onze pessoas.

O destino de nossa viagem era o Caminho dos Casais, situado no Centro de Schoenstatt, de Óbudavár. Ao chegarmos, muitas eram as famílias que aí se encontravam; e foi-nos servido um delicioso almoço. Meus pais estavam encantados com a cordial recepção dessas "pessoas estranhas".

Transcorrido o almoço, queríamos ir à Capela. Meu pai, porém, resmungou alegando que não queria subir até o cimo. "Já vi muitas capelas, e posso muito bem fazer ideia de como esta é por dentro!" Sem embargo a nosso pedido acompanhou-nos. Volvida breve explicação sobre o Santuário, rezamos aí como família. E, após longo silêncio, disse meu pai: "Este quadro é lindo", ainda que seja muito crítico no que diz respeito a quadros.

Em seguida, ainda manifestou interesse pelo Caminho dos Casais. Na primeira estação meu irmão fez a leitura do texto do manual. Meu pai, ainda que tenha ouvido cair a bengala, continua, porém, cabisbaixo, escutando a leitura do referido texto. "Que magníficos pensamentos!" Prossigamos!" Tal atitude causou a maior surpresa e alegria a minha mãe. E assim percorremos a segunda e a terceira estação; a seguir, o caminho tornou-se dificultoso para meu pai. Não obstante manifestou o desejo de ler em casa as demais estações descritas no referido manual.

Este manual já lho havíamos oferecido há um ano; sem embargo nunca tinha passado o olhar por suas páginas. "Beatices", apenas havia murmurado. Agora, porém, tudo era bem diferente; tal manual o havia pessoalmente tocado.

No término da visita manifestou o desejo de na primavera vir aqui uma vez mais, e depois percorrer todo o Caminho dos Casais, caso as forças lho venham a permitir.

Tradução: Abadia da Ressurreição, Ponta Grossa, Paraná, Brasil

 


 

Zurück/Back: [Seitenanfang / Top] [letzte Seite / last page] [Homepage]
Impressum © 2009 Schönstatt-Bewegung in Deutschland, PressOffice Schönstatt, all rights reserved, Mail: Editor /Webmaster
Last Update: 17.03.2009